sábado, 16 de setembro de 2017

# 121

Google imagens
(Só porque os meus filhotes foram convidados para uma festa anos, à hora de almoço. Ai a batata frita, as salsichas, os doces e pior......os salgadinhos!!!!!! Fica mal se levar sopinha de casa?)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Ser mãe de 3 #35

É viver cada novo ciclo escolar como a mais absoluta novidade.
É ter ansiedade e noites mal dormidas preocupada com os novos ambientes, a nova escola, os amigos, etc & tal....
É pré-ocupar a mente e o coração com situações que só acontecerão daqui a uns 2 anos.
É fazer filmes dignos de um óscar de melhor argumento (e um globo de ouro, e um bafta e outros que tais)
É respirar profundamente, depois de suster a respiração dias a fio (a respiração do coração entenda-se), mas sempre ficando com um folegozinho reservado.
É ser mãe. E ser mãe ansiosa é assim.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Ser mãe de 3 #34

O meu filho mais velho já tem telemóvel (touch) com número e tudo (as últimas palavras são do próprio).
A miuda ficou com o antigo dele, de teclas, que nem cartão tinha, era mais brincadeira.
O mais novo diz que o dele (de brincar) não é a sério e fez uma grande birra.
Mãe sofre.......

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Qual é a mãe qual é ela?

Que não consegur dormir bem, porque hoje os filhos voltam às semi-rotinas?
Eu, pois tá claro.
O mais velho ao ATL de sempre, mas cheio de novidades.
Ela ao ATL do mano grande, já que optámos por isso, mas sem os amigos que fez - uns porque mudaram de escola, outros porque ficaram no outro ATL. Espero que reencontre aqueles que estão agora no 2º ano do 1º ciclo e que foram amigos dela na creche.
O mais novo na sala nova, reencontros e novos amiguinhos.
E eu, bem eu preciso mesmo de mais café.
Mãe sofre - estou aqui ansiosa por saber como correu este primeiro dia.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Leituras 2017 #17

Do site da bertrand
Sinopse Bertrand:
"Kat Donovan, uma detetive de Nova Iorque, observa os perfis de um site de encontros amorosos. Subitamente depara-se com uma fotografia que a perturba: ali está a cara do homem que, anos antes, a abandonou em pleno noivado. Nisto, ao enviar-lhe uma mensagem, Kat vê-se enredada numa inesperada e tenebrosa conspiração. À medida que investiga, apercebe-se de que a sua vida e a dos seus pais assenta numa mentira. O mistério estende-se ao próprio homicídio do pai que permanece inexplicado. Mas Kat está disposta a tudo para desmantelar esta rede criminosa que opera através da Internet, nem que isso a force a remexer num passado doloroso."

A minha opinião:
 Kat é uma detective que tenta desvendar o maior caso da sua vida - o assassinato do pai, também ele um polícia.
Ela vai visitar o homem que confessou o crime,  por não acreditar na sua confissão, e essa visita abre caminho para que Kat tente saber mais sobre a vida do seu pai, tanto pessoal como profissional. E aqui os segredos de família ajudam a desvendar algumas coisas, mas acho que ao mesmo tempo poderiam ter sido mais trabalhados, são fulcrais e parecem apenas acontecimentos de segundo plano.
Ao mesmo tempo, Brandon Phelps que procura a sua mãe, desparecida numa viagem com o seu novo namorado, pede ajuda a Kat para encontrá-la. Ela não estava muito confiante que a mãe de Brandon tivesse "desaparecido", mas o facto de  o ex-noivo de Dana Phelps ser o ex-noivo de Kat que apareceu recentemente num site de encontros, deixa-a intrigada. E é este amor mal resolvido na vida de Kat, que se por um lado a impulsiona a saber mais, por outro lhe tolhe os movimentos.
Somos levados ao desfecho da história, mas antes o autor faz com que consideremos várias hipóteses.
Vale a pena ler, porque não é o típico livro policial.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Leituras 2017 # 16

Imagem Wook
Sinopse Wook:
"Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.
Até que um dia... 

 Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada.
Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos."


 Depois de ter lido em vários blogs tão boas críticas acerca de este livro fiquei curiosa.
O filme não vi, mas quero ver se consigo alugá-lo na box. Adiante, nesta história temos uma personagem principal que duvida de si, que nos faz duvidar dela, que por vezes nos dá pena, outras nos dá vontade de entrar livro adentro e dar dois pares de estalos.
É uma história que vicia, que nos faz querer mais, saber mais. Um enredo bem contado e que em nada desilude. Fiquei com vontade de ler o novo livro da autora - Escrito na àgua
Leiam e digam de vossa justiça.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Leituras 2017 #15

Imagens Google
Resumo:
"Quando Beaufort Swan se muda para a melancólica cidade de Forks e conhece a misteriosa e atraente Edythe Cullen, sua vida dá uma guinada emocionante e apavorante. Com a pele de porcelana, os olhos dourados, uma voz hipnótica e dons sobrenaturais, Edythe é ao mesmo tempo enigmática e irresistível. O que Beau não percebe é que, quanto mais se aproxima dela, maior o perigo para ele e para os que o cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás..."

 O que posso dizer? Li a saga e vi os filmes e gostei. Aliás gosto deste tipo de histórias.
Neste livro a história é inversa, mas o resto é igual.
Para os fãs é um livro a ler.

sábado, 12 de agosto de 2017

Leituras 2017 #14

Imagens Google
Resumo:
"O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada
Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno."

Uma história sobre um grupo de amigos, que  se deixa influenciar por um guru, vista pelo único elemento do grupo- Lee Harwell, que não sendo aceite no núcleo do guru, não consegue perceber, nem obter facilmente respostas sobre o grande acontecimento que assombra os seus amigos.
Não é uma leitura fácil, e tive muitas vezes a sensação de não entender nada, de me perder.
Um passado vivido por todos, mas do qual cada um tirou uma lição diferente consoante a sua visão do ritual. E no livro vão encontrar outro Lee, Lee Truax, que não é mais que a antiga namorada e actual mulher de Lee Harwell.
Leiam e digam de vossa justiça.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Leituras 2017 #13

Google Imagens
Resumo:
"Quando sua mãe, Trudie, morre vítima da Doença de Huntington – mal que atinge o sistema nervoso –, Rosie sofre não apenas pela perda, mas também pela sombra que paira sobre seu futuro: o alto risco de também ser portadora da doença. Determinada a saber o que está à sua espera, Rosie conta para “Tia Sarah”, a melhor amiga de sua mãe, que pretende fazer o exame que revelará se tem ou não a doença. Apavorada com as outras verdades que o exame pode revelar, Sarah decide abrir o jogo e conta algo que desestrutura ainda mais a vida de Rosie: Trudie não era sua verdadeira mãe. Rosie fora trocada na maternidade logo após seu nascimento, pois o bebê de Trudie tinha pouquíssimas chances de sobreviver. Devastada pela notícia, Rosie decide procurar sua mãe biológica e, junto com o namorado, deixa a Inglaterra para trás e parte para os Estados Unidos, onde acredita que se reunirá à sua família. O que a garota não pode prever é que a revelação deste segredo irá mexer com a vida de pessoas que ela nem mesmo imagina que existem..."

Este é um daqueles livros que nos faz sentir que reclamamos de nada. Que tantas vidas aparentemente perfeitas, não são mais do que aparências. A saúde, o carinho, o amor da família são tudo.
Não é um livro de auto-reflexão, mas como sendo ficção, fala de tantas vidas verdadeiras dá que pensar.
Será que vale a pena mexer no passado? Será que existem mentiras piedosas?
O livro está dividido em duas partes, com um fio condutor na personagem de Rosie.
O resumo diz tudo. Leiam, vale mesmo a pena, mas preparam-se tanto podem achar que Rosie é uma chata, sempre a ter pena de ela própria, como podem ter pena dela vocês mesmos.
E a doença de Huntington, tratada aqui de uma forma humana, séria e informativa, não é um bicho papão. A autora fala da mesma de forma séria, embora seja uma espada que paira na cabeça de muitos. Fiquei a saber um pouco mais acerca da mesma.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

 

Template by Suck my Lolly